General

Rolo de treino: vale a pena?

March 20

     Vejo muita gente gastando milhares de reais/ dólares comprando acessórios que prometem entregar velocidade e potência “de graça”. Rodas, garrafas e capacetes que prometem (e até cumprem o que prometem) melhorar a aerodinâmica e com isso fazer o atleta pedalar mais rápido. Mas essas mesmas pessoas “torcem o nariz” e não “tiram o escorpião do bolso” na hora de comprar um rolo de treinamento indoor. 

     Pois bem: o rolo de treinamento (qd bem utilizado, claro) vai aumentar sua potência, eficiência e velocidade de maneiras que nenhuma roda consegue. 

Existem diversos modelos no mercado categorizados das mais diversas formas. Para simplificar, podemos dizer que existem os rolos de equilíbrio, os de roda e os de transmissão direta (aqueles que você tira a roda traseira da bike), que podem ter resistência magnética ou hidráulica e ainda podem ser mecânicos ou eletrônicos. 

     Os rolos de roda são mais portáteis que os de transmissão direta que, geralmente, são mais silenciosos e oferecem resistências maiores. 

Os rolos mecânicos geralmente são de encaixe rápido (de roda) e não dependem de energia elétrica nem de conexão com computadores ou smartphones. São mais simples e mais baratos porém a resistência geralmente é menor e pouco variável. 

Os rolos eletrônicos são verdadeiros simuladores de ciclismo (provavelmente você já ouviu falar no Swift), com variam a resistência oferecida conforme o relevo em que se está simulando a pedalada. O BKool vai um pouco além e simula condições do vento (qd disponíveis) e até vácuo qd treinando com outros atletas. Isso porém tem seu preço. 

     Na foto temos um rolo mecânico da cycleops (Fluid2) excelente (resistência variável conforme a cadência) e um BKool Pro eletrônico que simula inclinações de até 15% (o Mount Ventoux tem máxima de 14%... aliás já subi o Mount Ventoux... no simulador, claro). 

 

Sugestão: invista com inteligência em um bom rolo de treino! Ele vai ser seu segundo melhor amigo, depois da sua bike!